Nosso primeiro objetivo nesta sexta-feira era deixar o Rio Grande do Sul e fazer uma foto na cidade de Itapiranga, Santa Catarina.

Para isto, iríamos sair de Palmitinho – RS, rodar até Frederico Westphalen – RS, Iraí – RS, cruzar a ponte sobre o rio Uruguai e dali seguir pelas estradas catarinenses até Itapiranga, cidade que fica no extremo sudoeste de Santa Catarina.

Porém, conversando com moradores, todos concordaram que deveríamos sair de Palmitinho, rodar até Vista Gaúcha, Barra do Guarita, ali atravessar o rio Uruguai pela balsa e já estaríamos em Itapiranga, economizando cerca de 100km, além de rodar por estradas melhores e todas asfaltadas, com um pequeno trecho de estrada de chão.

Carregamos a Harley-Davidson Heritage, subimos na moto e partimos para o destino, seguindo as dicas do pessoal local.

Palmitinho - RS

Seguimos pela BR-472 sentido Tenente Portela – RS e após rodar alguns quilômetros pegamos à direita acessando a BR-163 rumando Vista Gaúcha – RS.

Vista Gaúcha - RS

O asfalto está sendo feito neste trajeto, sendo que na maior parte está finalizado. Rodamos poucos metros em estrada de chão, logo na passagem do pórtico da cidade.

Centro de Vista Gaúcha – RS:

Vista Gaúcha - RS

Prefeitura Municipal de Vista Gaúcha - RS

Atravessamos o centro da pequena cidade e seguimos reto, conforme as placas nos indicavam, sentido a Itapiranga – SC, quando o asfalto acabou e ali começou uma estrada de chão:

Vista Gaúcha - RS

Acredito que em Vista Gaúcha – RS as placas indicaram o caminho incorreto, ou talvez um trajeto antigo, pois conforme haviam nos relatado, pegaríamos apenas asfalto, e um pequeno trecho de estrada de chão, mas não foi bem isto que aconteceu.

Vista Gaúcha - RS

A estrada estava em bom estado de conservação, apenas alguns trechos apresentavam buracos, então seguimos por aproximadamente 10 quilômetros, quando passamos uma pequena ponte e, finamente, o asfalto voltou a surgir em nossa frente.

Vista Gaúcha - RS

Dali foi um pulinho até o centro de Barra do Guarita – RS, onde chegamos para pegar a balsa, e ela havia recém saído, então pagamos a taxa de R$ 10,00 para a travessia e aguardamos ela retornar.

Balsa em Barra do Guarita - RS

Pouco mais de 15 minutos ela chegou, e embarcamos na barca:

Balsa em Barra do Guarita - RS

A travessia de aproximadamente 800mts neste ponto do rio Uruguai dura cerca de 15 minutos.

Balsa em Barra do Guarita - RS

Logo deixamos o estado gaúcho, entrando em terras catarinenses:

Balsa em Itapiranga - SC

Balsa em Itapiranga - SC

Como estamos participando do desafio “Extremos de Santa Catarina”, organizado pela Floripa Harley-Davidson, que tem como objetivo estimular a exploração do belo estado de Santa Catarina, através de viagens aos seus extremos (Noroeste, Sudoeste, Sudeste e Nordeste), além da sua maravilhosa capital (Florianópolis), seguimos até a prefeitura municipal de Itapiranga – SC, onde cumprimos mais um objetivo do desafio:

Prefeitura Municipal de Itapiranga - SC

Dali partimos para São Miguel do Oeste – SC. Passando pelo pórtico de Itapiranga:

Itapiranga - SC

O trajeto entre Itapiranga – SC e Iporã do Oeste – SC, pela BR-163, foi o pior trecho que rodamos até o momento. A estrada não conta com acostamento, tem um alto fluxo de veículos e o asfalto está em péssimo estado de conservação, sem dúvidas, o trecho de estrada de chão que passamos no lado gaúcho estava em melhores condições do que esta parte da rodovia federal.

BR-163 entre Itapiranga - SC e Iporã do Oeste - SC

BR-163 entre Itapiranga - SC e Iporã do Oeste - SC

Em Iporã do Oeste acessamos a BR-386, a qual estava um pouco melhor, mesmo assim em estado precário, e já nas proximidades de São Miguel do Oeste regressamos à BR-163.

São Miguel do Oeste - SC

Entramos na cidade de São Miguel do Oeste para dar um abraço em um amigo, infelizmente devido às péssimas condições das rodovias, aliado ao fato de pegarmos estrada de chão e aguardarmos a balsa, chegamos na cidade logo após o meio dia (cerca de 1 hora após o previsto), e isto fez com que a conversa fosse curta e logo partimos para Dionísio Cerqueira – SC:

BR-163 - Dionísio Cerqueira - SC

O trajeto foi pela mesma BR-163, e neste trecho a estrada está em melhor estado de conservação, apenas apresenta algumas ondulações e irregularidades na pista, mas poucos buracos.

BR-163 - Dionísio Cerqueira - SC

Enfim chegamos em Dionísio Cerqueira – SC, que faz divisa com Barracão – PR e fronteira com a Argentina. As cidades são tão próximas, que não sabíamos quando estávamos em Santa Catarina ou Paraná e muitas vezes era possível ver o lado argentino, que fica do outro lado da rua, apenas uma calçada divide os países.

Com a falta de placas indicativas, fomos pedindo informações aos moradores e estacionamos a moto em frente à prefeitura municipal de Dionísio Cerqueira, concluindo assim, o desafio “Extremos de Santa Catarina”.

Prefeitura Municipal de Dionísio Cerqueira - SC

Regressamos à BR-163, já em terras paranaenses.

BR-163 - Barracão - PR

Paramos em um posto, ainda em Barracão, onde tomamos um café “expres”:

Barracão - PR

Esta parte da BR-163, até Capanema – PR, está em obras (embora não tenhamos visto ninguém trabalhando) e o asfalto está praticamente novo, apenas alguns pequenos trechos ainda não foram reformados.

O que nos chamou a atenção foi a quantidade de trevos (todos eles com duas lombadas), e cidades que cruzamos, todas próximas uma da outra.

Antes de chegar em Capanema pegamos à direita e rodamos pela PR-281 até Realeza – PR:

Realeza - PR

Seguimos até a igreja Cristo Rei, que fica no centro da cidade:

Igreja Cristo Rei - Realeza - PR

Igreja Cristo Rei - Realeza - PR

E ali fomos recepcionados por amigos, os quais nos farão companhia por todo o final de semana.

Trajeto percorrido: